Ir para conteúdo

Prefeitura
Acompanhe-nos:
Facebook
Twitter
You Tube
Sound Cloud
UNIDADES FISCAIS
URM - R$ 3,33
Notícias
Principal   Notícias
 
30/03/2017
› Sargento Raymundo Soares é Escola da Paz

“Podes falar de paz quando há guerras aqui, e ser feliz quando há ódio por aí, seguindo pela estrada, sem saber onde ir. Todos correm sem ver o fim. Paz, paz, doce paz... Vem desde os Céus à Terra. Paz, paz, podes ter também, se apenas estenderes a mão.” Arautos do Rei

Falar de paz, implantar a paz, cultivar a paz, parece utopia, mas isso é o que todos os 600 alunos da EMEF Sargento Manoel Raymundo Soares, localizada na Augusta Fiel, estão fazendo. Desde o jardim de infância, até o 9º ano, incluindo 32 professores e funcionários, todos mobilizados pela paz. De acordo com a diretora, Vanessa Suminski, o projeto iniciou em 21 de setembro de 2016, no Dia Mundial da Paz, e está obtendo ótimos resultados no âmbito escolar, considerando que a escola localiza-se na Vila Augusta Fiel de Viamão, região de grande vulnerabilidade social. “Houve a necessidade da criação deste Projeto para resgatar valores cruciais à formação do ser humano, através de atividades desenvolvidas pela comunidade escolar, em conjunto com o Círculo Universal dos Embaixadores da Paz, WA Agropet da Sta Isabel, Centro Cultura Educacional e Universidade Corporativa Saint German de Porto Alegre e demais parceiros. Nosso projeto prevê, também, formação continuada aos professores para atuarem na prevenção e mediação de conflitos na escola. Nossa meta é construir um ambiente harmônico, com boas relações interpessoais e mútuo respeito”, explica Vanessa.

As atividades são desenvolvidas semanalmente e culminam nos eventos do calendário municipal comum a todas as escolas, onde existe também a presença da comunidade. Cada ação, vira uma página para o livro Escola da Paz, que correrá o mundo alertando cada gestor sobre sua missão e seu potencial de alcance. Para a coordenadora representante do Brasil do Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix, Delasniève Daspet, é gratificante ver o desenho e as palavras das crianças. “Eles dão seus passos iniciais na arte de pazear na construção de um mundo melhor. Iniciamos a cultura de meditação com as turmas da escola, trazendo em pauta a espiritualidade, na reflexão interior de cada um, sem abordar religião.”

Vanessa acredita que é através de um ambiente harmonioso, com a convivência da paz, que será possível a construção de um mundo mais justo e fraterno. “Atualmente, faz-se necessário que os ambientes escolares tracem planos de ação que levem o aluno a analisar a situação atual em que se vive, refletindo sobre diversos tipos de violência, como: contra crianças, animais, idosos, mulheres, pessoas de opção sexual diferentes, raças e etnias, natureza, direitos do cidadão, bem público/particular e muitos outros, levando-os a posicionar-se com atitudes conscientes, diferentemente das que predominam atualmente, com a intenção de criar outras formas de comunicação, desvalorizando a violência e cultivando o amor e respeito ao próximo, para que possamos finalmente aprender a conviver em paz.”

Para o professor de História, Clévison Pedroso, o projeto foi muito bom. “Recebemos o auxílio de colaboradores para realizar o trabalho e eles trouxeram materiais bandeiras, brinquedos, plantas e “humanidade” a esta comunidade, onde, até mesmo os adolescentes, se interessaram sobre o assunto.” A estudante do 8º ano, Lidiane Siqueira, 14 anos, diz gostar muito do projeto. “Realizamos atividades de integração com todos os alunos, com dinâmicas de reflexão do que melhorar em sala de aula”, relata Lidiane.

“Notei que na sala de aula os meninos não discutem mais, estão mais calmos”, percebe Brenda Nicole Costa Pereira, 13 anos, aluna, 8º ano. Na visão da merendei Silvana da Silva, houve melhora no relacionamento entre os alunos maiores. “Antes eles eram mais agressivos e agora conversam para resolver seus problemas”, constata. A mãe da aluna Maria, Nádia de Souza, fala que a escola mudou bastante e que os alunos não brigam mais. “Este projeto deve continuar e ser implantado também em outras escolas. ”

Na visão da vice-diretora, Sirlete Weingaertner, o projeto chegou na escola em um momento de muita necessidade de reestabelecer a harmonia, enfatizando a paz e a serenidade entre alunos, professores e funcionários. “Foi um projeto bem aceito por todos e vem dando resultados. Nossos alunos demonstram mais facilidade em lidar com conflitos. Quanto aos professores, o Escola da Paz trouxe grandes melhoras, com mudanças no modo como os professores lidam com algumas situações em salas de aula, resolvendo-as com diálogo e serenidade.”

O diretor Pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, Valnei Veloso, ressalta que o índice elevado de situações envolvendo a agressividade e a violência está a cada dia mais marcante em nossa sociedade. “A agressividade perpassa da relação entre os seres humanos. Portanto, torna-se extremamente necessário estar desenvolvendo esse projeto que busca a paz, para que possamos viver em um mundo melhor e mais harmônico.”

“Hoje não nos referimos mais como o Projeto Escola da Paz e sim, nos denominamos Escola da Paz, pois, é com esta visão que daremos sequência ao nosso trabalho, e não vemos outra forma melhor de contribuir com a paz no mundo, a não ser partindo do interior de nós mesmos, nossa escola, família e comunidade, com o objetivo de estender através do exemplo e cativar com amor, tolerância, compreensão, paciência e respeito a todos que nos rodeiam”, finaliza a diretora da escola.

“Não há caminho para a paz, a paz é o caminho.” (Gandhi)


Objetivos do projeto:

  • Desenvolver no educando uma consciência ambiental para a preservação da natureza e dos seres vivos;

  • Proporcionar um ambiente que valorize a relação de paz;

  • Adotar atitudes de solidariedade, diálogo, justiça e respeito;

  • Resgatar valores esquecidos como: União, Amizade, cordialidade e Amor ao Próximo;

  • Participar de brincadeiras, danças, jogos e demais situações de interações em grupo;

  • Estabelecer relações de afeto e carinho com todos os membros da sociedade;

  • Valorizar e respeitar os próprios sentimentos e o dos colegas;

  • Estimular o cuidado com o ambiente escolar.

 

 
 
 

 

Telefone Entre em contato
(51) 3492-7600
Localização Praça Júlio de Castilhos, s/n
CEP: 94410-055 - Viamão/RS
INFORMATIVOS DA PREFEITURA
© Copyright Instar - 2006-2017.
Todos os direitos reservados
Atendimento: Segunda a Sexta das 8:30h às 12h e das 13:30h às 17h

icone instar © Copyright Instar - 2006-2017. Todos os direitos reservados.